Artigos

Teoria U: o impacto da vivência TRANSFORMANDO organizações!

É claro que você já deve ter passado por uma situação em que seus colaboradores foram resistentes à alguma mudança.

Ou então, determinada decisão que modificou o processo foi anunciada e eles se afastaram da proposta inicial ou pretendida, fazendo uma entrega aquém do esperado.

Isso é normal e perfeitamente compreensível na rotina de uma empresa. Mas o que você faz quando esses fatos acontecem é que determina como será o futuro.

É provável que isso tenha acontecido porque os colaboradores diretamente envolvidos não foram consultados e não participaram do processo de elaboração e raciocínio por trás da decisão.

Logo, eles não sentiram e nem presenciaram o impacto da ação que gerou a necessidade da mudança.  Eles não se sentem parte das definições e nem acreditam nelas, o que é muito prejudicial a longo prazo.

Este é, provavelmente, o principal problema enfrentado por gestores que não conseguem engajar sua equipe no Planejamento Estratégico: o grupo não consegue ver o quão importante aquilo é em uma escala muito maior do que o seu cotidiano. Ou seja: o gestor falhou em passar a visão para a sua equipe.

A transformação por meio do impacto da vivência é um método defendido pela Teoria U! Você conhece essa Teoria?

O que é a Teoria U?

Trata-se de uma metodologia que faz uma equipe inteira aprender algo novo.

A Teoria U se propõe a ajudar a implementar mudanças e aumentar a produtividade em organizações (e pode ser utilizada em qualquer esfera ou ambiente).

A teoria defende que envolver profundamente as pessoas impactadas no processo de mudança, a exemplo do case da Nike, é a melhor maneira de gerar os melhores resultados.

Resumindo: a qualidade dos resultados em qualquer tipo de sistemática social depende diretamente da atenção, presença e consciência que mostram os participantes.

No âmbito empresarial, a teoria U nada mais é do que uma forma de planejar, traçar e executar processos de mudança de forma conjunta a partir de três fases: sentir, presenciar e realizar.

Nós vamos explicar melhor: conheça o caso da Nike!

Nike: mudança a partir da percepção

A gestão de sustentabilidade da Nike tem um case muito interessante sobre mudança de cultura por meio do impacto da vivência e percepção.

Uma das líderes da marca, Darcy Wislow, foi incumbida de desenvolver processos e produtos ambientalmente sustentáveis para o setor de calçados femininos da empresa.

  • Sua primeira ação foi nomear um grupo de colaboradores que atuavam em várias áreas da empresa para trabalhar no projeto. Eles deveriam definir estratégias empresariais sustentáveis.
  • Eles articularam um plano de ação. Começaram pela análise do cenário da Nike, vivenciando e participando de todos processos internos.
  • Ao mesmo tempo em que observavam tudo e debatiam, surgiu o real envolvimento com o projeto e o reconhecimento da importância do processo sustentável: as novas ideias começaram a surgir!
  • Foi quando eles começaram a questionar sobre compromissos mais profundos que deveriam ser adotados: não apenas para cumprir pauta no trabalho, mas para a preservação do planeta.

Resultado: eles não só criaram produtos, como também desenvolveram uma nova forma de gestão para toda a empresa.

O sistema de gestão da Nike se tornou exemplo de sustentabilidade.

Interessante a Teoria U! Quem foi que criou?

O criador da Teoria U é Otto Scharmer, professor do MIT – Massachusetts Institute Of Technology.

Scharmer afirma que um objetivo se concretiza naturalmente quando se compreende verdadeiramente a necessidade de mudança. (Reprodução: Social Impact Festival blog)

Sua teoria “U” foi citada pela primeira vez no livro “Presença: propósito Humano e o Campo do Futuro”, que Scharmer escreveu com Joseph Jaworski, Betty Flowers e Peter Senge.

Como funciona a Teoria U na prática?

Ao longo da jornada do U, cada indivíduo fortalece competências de liderança que são fundamentais para a criação de um novo estado de realidade.

O processo tem 7 etapas definidas:

  1. suspender;
  2. redirecionar;
  3. deixar ir;
  4. estar presente;
  5. deixar vir;
  6. decretar a lei  
  7. incorporar.

A sua forma em U é explicada pelo caráter visual de descida e subida dessa jornada dividida em três etapas que são cíclicas:

  1. primeiramente o indivíduo deve descer o U e conectar-se com o ‘sentir’ enquanto livra-se de todos os seus filtros, questionando seus padrões de mentalidade e observando a realidade sem pré-julgamentos;
  2. em seguida ele chega ao fundo do U aonde irá conectar-se com o ‘estar presente’, descobrindo a si mesmo, suas visões e propósitos;
  3. por fim inicia-se a subida do U, que está conectada à realização, dando forma real às ideias que surgiram no processo.

Como a Teoria U vai desenvolver competências nos líderes da sua empresa?  

A partir da Teoria U, ao serem envolvidos em vivências e transformarem suas mentalidades a partir do impacto provocado por elas, os líderes têm oportunidade de desenvolver:

1) Reconhecimento do espaço de escuta

A capacidade fundamental da teoria U é a escuta. Escuta ao outros. Escuta a si mesmo. E a escuta do que nasce do coletivo. Para mudar uma realidade, é fundamental conhecer a fundo o que sentem as pessoas envolvidas e o que envolve os desafios que devem ser transformados.

2) Observação

A capacidade de observar os acontecimentos tal qual eles são e abster-se da “voz do julgamento” é uma chave para cultivar relacionamentos baseados na confiança.

3) Sensing

A habilidade de manter da mente, coração e a vontade abertas. Ao contrário do que possa parecer, esse não um processo passivo: é uma atitude ativa e enérgica que busca perceber as situações como parte de um sistema.

4) Presença

A capacidade de perceber os detalhes dos acontecimentos e das sensações que estão ao redor.

Essa “sensibilidade” torna a ação mais eficaz e direta às questões-chave dos conflitos enfrentados, e normalmente leva a uma situação em que é mais fácil de visualizar a solução.

5) Cristalização

Quando um pequeno grupo se compromete com um propósito comum, torna-se um verdadeiro proselitista (no melhor dos sentidos): acaba atraindo pessoas, projetos e oportunidades para potencializá-lo.

Cristalização é como chamamos a habilidade de compartilhar um propósito com um grupo de pessoas.

6) Prototipação

Pensamento + Ação. Depois de conhecer o propósito, é o momento de tomar ação e criar projetos em torno dele, para que o futuro se manifeste da melhor forma.

7) Performance

Uma novo ecossistema nasceu.

Agora, é hora de cultivá-lo. Como?

Fazendo! Performar é reconhecer que fazer é melhor do que falar, já que a verdadeira mudança acontece quando há mudança no próprio comportamento.

Teoria U: o segredo para engajar!

A Teoria U é a resposta para você que não consegue engajar sua equipe.  

Se você implementou o Planejamento Estratégico, por exemplo, e os colaboradores não engajaram com a sistemática… Permita com que eles sintam a necessidade disso:

  • não esconda ou suavize os efeitos da falha na Comunicação;
  • não esconda os efeitos de trabalhar às cegas, sem metas e sem um rumo definido;

Permita que sua equipe transforme sua mentalidade por meio da vivência. Você tem coragem?

Scopi ajuda você nesta missão!

O Scopi é uma poderosa solução em planejamento estratégico empresarial que permite que você tenha uma visão global do funcionamento de toda a companhia:

  • quem é a empresa (filosofia);
  • quais são os objetivos da empresa;
  • o desdobramento deles em metas;
  • o andamento de cada tarefa;

E o melhor de tudo isso é que você escolhe conceder esta visão global do negócio aos seus colaboradores, já que uma das premissas do sistema é ser colaborativo.

Com ele, as equipes poderão ter contato com:

  1. as metas – só assim poderão compartilhar delas junto com o alto escalão;
  2. os processos – para ter segurança de como desempenhar cada tarefa;
  3. status de cada tarefa – para ter ciência das cobranças e dificuldades;
  4. os prazos – representam ganhos em autonomia e autoconfiança;  
  5. os resultados – para sentir orgulho de seu trabalho ou saber como melhorar;

Adotar o Scopi é transformar a mentalidade da sua empresa por meio da vivência de cada processo.

É você e seu time evoluindo todos os dias. Clique para saber mais.   

Quero ler mais sobre a Teoria U!

Blog de Impacto – Acesso

Blog da Fappes – Acesso

Draft Plataforma de Conteúdo – Acesso

Social Impact Festival Blog – Acesso

Blog Esencial – Acesso


O Scopi é o software que descomplica a criação e agiliza a execução do seu planejamento estratégico. Integra num só lugar canvas, swot, mapa estratégico, indicadores, metas, projetos e processos. Não deixe de conhecer. Acesse nosso site.

Compartilhe:

Redação Scopi
Redação Scopi
O Scopi está comprometido em fortalecer a cultura do Planejamento Estratégico em todo o Brasil. Quer publicar um conteúdo em nosso blog? Escreva para comunicacao@scopi.com.br e saiba como fazer um guest post em nosso blog.
Você também pode se interessar
planejamento estratégico de uma empresa
Os perigos de ser uma empresa “Deixa a vida me levar”
Gestão de Projetos: metas transformadas em resultados!